Voltar ao topo.Ver em Libras.
Curta no Facebook:
Tempo em Nonoai - RS:
Tempo em Trindade do Sul - RS:
Tempo em Três Palmeiras - RS:
CPZ NotíciasNotícias de Nonoai e região em primeira mão
Última atualização:19 de agosto de 2019,
às 12:04

MPF denuncia ex-prefeito de Gramado dos Loureiros (RS) e mais cinco pessoas#

« Última» Primeira🛈Categoria:Política
ImprimirReportar erroTags:no, tfpc2iftrzfwx, amn, agf, kxatnj6a, pr, vts4bsb e cihpc2nppqy831 palavras53 min. para ler
MPF denuncia ex-prefeito de Gramado dos Loureiros (RS) e mais cinco pessoas - PolíticaVer imagem ampliada
Esquema criminoso servia para desviar verbas públicas federais

Ministério Público Federal (MPF) em Passo Fundo (RS) denunciou o ex-prefeito de Gramado dos Loureiros, Antônio João Ceresoli, e mais cinco pessoas, por desvios de recursos públicos entre os anos de 2009 e 2011, envolvendo depósitos em cheque e créditos por transferências bancárias de recursos oriundos de contas vinculadas à prefeitura, diversas delas de programas federais.

Conheça 100 receitas para emagrecer com sapude, de 4 a 5 kg por Semana. 50 receitas de sucos e 50 receitas fit. Muitas pessoas ja estão satisfeitas e emagrecendo com saúde Clique Aqui e tenha acesso. 



Durante a investigação verificou-se que o esquema criminoso para o desvio das verbas públicas seguia, em geral, o seguinte 
modus operandio prefeito Antônio João Ceresoli e os secretários municipais Gelson Roque de Oliveira e Roberto Carlos Gugel Machado dirigiam ordens diretas aos servidores dos setores de Tesouraria e de Contadoria para que emitissem notas de empenho falsas em favor de determinadas empresas, em especial Vinício Golin, empresa de fachada, e Construmac, empresa do filho do prefeito, as quais emitiam notas fiscais falsas, seguindo-se o pagamento indevido.

Após, o prefeito autorizava o pagamento da despesa e o valor da nota de empenho era pago por meio de cheque ao credor que, posteriormente, o endossava em favor do prefeito ou de sua esposa e depositava na respectiva conta bancária. Em outros casos, as notas de empenho eram emitidas e pagas por meio de cheques para justificar gastos pessoais de Geni Galli Ceresoli, esposa do prefeito e Secretária Municipal do Bem Estar Social e Assistência Social.

O dinheiro desviado era oriundo de programas para a proteção de crianças e adolescentes, para levar qualidade de vida 
aos idosos, para reintegrar jovens ao processo educacional, para manutenção do ensino, para o fortalecimento dos vínculos familiares e comunitários, para transferir renda a famílias em situação de pobreza, entre outros.

As diversas irregularidades foram constatadas nas auditorias realizadas pelo Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul nas contas do município e encaminhadas para o MPF após a constatação da origem das contas bancárias vinculadas a programas federais.


Assessoria de Comunicação Social

Ministério Público Federal no Rio Grande do Sul

Comentários#