Voltar ao topo.
Curta no Facebook:
Tempo em Nonoai - RS:
Tempo em Trindade do Sul - RS:
Tempo em Três Palmeiras - RS:
CPZ NotíciasNotícias de Nonoai e região em primeira mão
Última atualização:20 de novembro de 2018,
às 05:55

IGP emite laudo e aponta que jovem morreu por afogamento em rio de Ipiranga do Sul

« Anterior« Última» Próxima» PrimeiraCategoria:Polícia
ImprimirReportar erroTags:confirmatório, grosso, dia, esclarece, falecimento, site, publicada e confira304 palavras4 min. para ler
IGP emite laudo e aponta que jovem morreu por afogamento em rio de Ipiranga do Sul - PolíciaVer imagem ampliada
O exame não identificou sinais de fratura, que poderia indicar um ataque de cobra


O Instituto Geral de Perícias do Rio Grande do Sul emitiu uma nota de esclarecimento, na tarde desta terça-feira (2), sobre o menino Guilherme da Silva Andrade, de 12 anos, que morreu nas águas do Rio Teixeira, no interior do município de Ipiranga do Sul, na tarde de domingo (31). De acordo com o IGP, o exame não identificou sinais característicos de ataque de cobra, apenas a morte por afogamento (asfixia mecânica - . Contudo, familiares do jovem, relatam para a imprensa regional, e da cidade de Erechim, que visualizaram a cobra no momento em que ela atacou o menino. O Corpo de Bombeiros de Getúlio Bargas, a Patram de Erechim, Nonoai e Passo Fundo, fazem buscar pelo animal, que tem grande suspeita que seja uma cobra sucuri. A sucuri é uma espécie que vive na região do Mato Grosso, e um agricultor, em anos passados, teria trazido alguns animais para a região e colocado em um açude. Com o tempo o açude teria estourado e os animais se adaptaram à região. 
 
Confira a nota de esclarecimento publicada no site do Instituto Geral de Perícias. 


Nota de esclarecimento:
 
Sobre o falecimento de GUILHERME DA SILVA ANDRADE: o Instituto-Geral de Perícias esclarece que, no dia 1º de janeiro de 2018, o Posto Médico Legal de Passo Fundo recebeu o corpo de Guilherme da Silva Andrade para exames. De acordo com o Laudo de Necropsia, foram encontrados sinais internos de asfixia, além de sinais específicos de afogamento, os quais dão elementos para afirmar que a morte foi devido à ASFIXIA MECÂNICA POR AFOGAMENTO. Registra-se que os membros não apresentavam fraturas, bem como não há outras particularidades a serem mencionadas. Por fim, foi coletado um fragmento de pulmão para pesquisa de plâncton, exame confirmatório de afogamento.

Fonte:site do IGP
Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarCompartilharPin it

Comentários