Voltar ao topo.Ver em Libras.
Curta no Facebook:
Voltar umAvançar umPausar
Nonoai - RS:
Trindade do Sul - RS:
Três Palmeiras - RS:
Notícias de Nonoai e região em primeira mão
Última atualização:18 de setembro de 2020,
às 17:10

Por falta de recursos, nova Ala do HRO segue sem funcionar

« Mais recente🔀🛈Categoria:Geral
ImprimirReportar erroTags:hospital, ala, oeste, nova, leitos, funcionamento, hro e serão297 palavras4 min. para ler

Segundo o Diretor Geral do hospital, a falta de verba impede o funcionamento
Na manhã desta sexta-feira (16), uma reunião entre os deputados estaduais da bancada do Oeste e o Conselho dos Secretários Municipais de Saúde de Santa Catarina (Cosems-SC) debateu o aperfeiçoamento do atendimento hospitalar de alta complexidade no Oeste Catarinense e a abertura da nova ala do Hospital Regional do Oeste (HRO). O encontro aconteceu no Centro de Estudos do HRO.
Segundo o Diretor Geral do hospital, Osmar Arcanjo De Oliveira foi inaugurado uma nova ala no HRO, porém a falta de recursos por parte do Governo do Estado impossibilitou o funcionamento do espaço. A 
coordenadora da bancada do Oeste, deputada Marlene Fengler (PSD) falou que os parlamentares irão trabalhar para mudar a situação da nova ala do hospital.
”A bancada do Oeste com seus 16 parlamentares, vai trabalhar em conjunto para ajudar na solução desse problema e colocar o hospital em funcionamento para atender toda a demanda da nossa região”, falou a deputada.

O presidente do conselho dos Secretários Municipais de Saúde, Gleson Dalla Costa informou que o hospital recebe cerca de R$ 1,8 milhão por mês do Estado, mas para que a ala entre em funcionamento serão necessários mais R$ 2,5 milhões mensais, pois existe a necessidade de 400 novos profissionais, custos com internações e atendimentos.


Atualmente o número de leitos no HRO é de 319, porém com a nova ala passará a ser 475, um aumento de 156 leitos. Para UTI geral serão 20 novos leitos, 10 para UTI pediátrica e sete para o setor de coronária. No setor de Alta Complexidade, 37 leitos serão para o tratamento intensivo, 56 na área de Oncologia de longa duração, 36 para Quimioterapia de curta duração e 27 para recuperação pós-cirúrgica. A nova ala ainda vai contar com mais 12 salas de cirurgia.
Fonte: Clic RDC