Obs.: você está visualizando a versão para impressão desta página.
Voltar ao topo.Ver em Libras.
Curta no Facebook:
Voltar umAvançar umPausar
Nonoai - RS:
Trindade do Sul - RS:
Três Palmeiras - RS:
Notícias de Nonoai e região em primeira mão
Última atualização:30 de novembro de 2020,
às 17:12

Planalto chorou a morte de Rafael Mateus Winques

« Mais recente🔀🛈Categoria:Geral
ImprimirReportar erroTags:rafael, delegado, foi, mãe, alexandra, pessoas, corpo e ela679 palavras10 min. para ler
Perícia apontou que a causa da morte foi sufocamento 
A comunidade da cidade dePlanalto, norte do Rio grande do Sul, ficou abalada com a notícia do homicídio de Rafael Mateus Winques, 11 anos, e o pior de tudo, a mãe do menino, Alexandra Dougokenski assumiu a autoria do crime. 
A confirmação dos detalhes da investigação foi feita pelo Delegado de Planalto Ercilio Carletti. Entre as informações que o Delegado passou para a imprensa, chamou a atenção o relato que a mãe prestou vários depoimentos e sempre esteve com um comportamento tranquilo, a ponto de não se abalar com o sumiço de Rafael. O delegado explicou que a mãe, Alexandra, sempre esteve entre as suspeitas  de estar envolvida no sumiço do filho. Após ela se contradizer nos depoimentos, o delegado apresentou as contradições, momento este em que deu a oportunidade para Alexandra se expressar, quando então ela confessou o crime, relatou o Delegado. 
Ercilio enfatizou que a mãe disse não ter a intenção de matar o filho, e que  teria dado dois comprimidos para Rafael dormir. Contudo a Perícia apontou que a criança foi morta por sufocamento mecânico, ou, estrangulamento.  A partir da confissão da mãe, que mostrou aonde o corpo estava escondido, ela foi tirada da cidade. 
O Corpo de Rafael estava acondicionado em uma caixa de papelão, envolvo a alguns panos por cima, na área de uma casa ao lado de onde Rafael morava. Segundo a perícia, esse ambiente foi favorável para a conservação do corpo.
Conforme o Delegado Ercilio, a casa vizinha não foi revistada antes porque não se tinha a notícia, ou o fato, de um homicídio. ?Estavamos procurando uma pessoa Viva?, destaca Carletti. 
Os cães Farejadores do Corpo de Bombeiros que estiveram em Planalto são treinados para encontrar pessoas vivas, e não mortas, acrescentou.
A partir de agora serão ouvidas outras pessoas para apurar a possibilidade de ter mais pessoas envolvidas neste crime. 
O Pai de Rafael, o agricultor Rodrigo Winques, que mora na cidade de Bento Gonçalves, concedeu entrevista para o Jornalista Cristiano Pinto Zamboni. 
?É uma tristeza imensa. Se ela não queria o filho poderia dizer que  eu cuidava?, relatou o pai emocionado. Rodrigo Winques pede que seja feita a justiça. 
 

A Promotora de Nonoai, Dra. Michele Kufner, que  também responde pelo Município de Planalto, relatou que o Ministério Público, desde que tomou conhecimento do desaparecimento de Rafael, buscou prestar o auxílio e o apoio necessário para que a Polícia Civil realizasse o trabalho, se colocando a disposição, e a estrutura a disposição, na medida que fosse necessário, porque era o interesse de todos localizar o Rafael, e que ele estivesse com vida. A Promotora lamentou  que infelizmente teve este desfecho com a morte do Rafael. Também parabenizou a atuação da Polícia Civil, ressaltando que o MP vai continuar a acompanhar os desdobramentos da investigação para concretizar o objetiva da justiça efetiva emum caso como este que choca e consterna toda a comunidade. 
 
 
Alexandra Dougokenski está com prisão temporária de 30 dias. O delegado Ercilio Carletti dará prosseguimento as linhas de investigação e ouvindo as pessoas investigadas, para então definir como vai representar, se será como homicídio culposo ou doloso. Dois advogados de defesa, Jean Severo e Gustavo Nagelstein, estão se inteirando dos fatos e do inquérito para defender Alexandra. Segundo os advogados, a mãe não teve a intenção de causar a morte do menino, e trabalham na linha de homicídio culposo, sem a intenção de matar.