Voltar ao topo.
Curta no Facebook:
Tempo em Nonoai - RS:
Tempo em Trindade do Sul - RS:
Tempo em Três Palmeiras - RS:
CPZ NotíciasNotícias de Nonoai e região em primeira mão
Última atualização:19 de novembro de 2018,
às 13:54

Mais 176 venezuelanos chegam ao RS para recomeçar a vida

« Anterior« Última» Próxima» PrimeiraCategoria:Geral
ImprimirReportar erroTags:submetidos, extrema, situação, ajudar, criada, iniciativa, trabalho e carteira253 palavras4 min. para ler
Mais 176 venezuelanos chegam ao RS para recomeçar a vida - GeralVer imagem ampliada
Terceiro grupo de imigrantes desembarcou no começo da tarde desta quinta-feira

Mais um grupo de venezuelanos chegou ao Estado para recomeçar a vida. O Boeing 767 da Força Aérea Brasileira (FAB), vindo de Boa Vista, pousou no Aeroporto Internacional Salgado Filho por volta das 14h50min. Os 176 imigrantes serão divididos em dois grupos: 87 serão levados para Canoas e 89 para Esteio.

Para participar do processo de interiorização de venezuelanos no Brasil, o município de Canoas vai receber R$ 1,2 milhão em repasses do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), valor que corresponde a uma ajuda financeira pelo prazo de seis meses. Já Esteio receberá até o próximo domingo R$ 533,4 mil.

Todos os solicitantes de refúgio e de residência que aceitaram participar da interiorização foram vacinados, submetidos a exame de saúde e regularizados no Brasil – inclusive com CPF e carteira de trabalho. A interiorização é uma iniciativa criada para ajudar venezuelanos em situação de extrema vulnerabilidade a encontrar melhores condições de vida em outros Estados brasileiros.

Repasse de recursos

Portaria publicada no dia 3 de setembro autorizou o repasse de recursos do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) a Esteio e Canoas para estruturação da rede socioassistencial dos municípios para acolhida dos venezuelanos. O incremento de R$ 1,2 milhão para Canoas e R$ 534,4 mil para Esteio tem validade de 6 meses.

A interiorização conta com apoio da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), da Agência da ONU para as Migrações (OIM), do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Correio do Povo 

Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarCompartilharPin it

Comentários