Obs.: a página impressa não é necessariamente idêntica à página exibida na tela.
Voltar ao topo.

Chuva causa alagamentos e remoções na Fronteira Oeste e no Noroeste do Rio Grande do Sul

AnteriorPróximo
BertuolAnuncie aquibeckerChapecarCapas e CapasJG siteDatchiRádio Sul FMLanchonete Família VieiraFarmáciaGDR SiteDeltha FinanceiraMessiasSaerBrazeiroJornalBertuolDia do Meio Ambiente Foz do Chapecó2º Racha NonoaiBecker
« Anterior« Última» Próxima» PrimeiraCategoria:Geral
ImprimirReportar erroTags:g1, cheia, registrado, milímetros, passa, acumulado, conta e nem238 palavras3 min. para ler
Chuva causa alagamentos e remoções na Fronteira Oeste e no Noroeste do Rio Grande do Sul - GeralVer imagem ampliada
Cinco famílias tiveram que ser retiradas de casas após uma sanga (parte de um rio) transbordar em Itaqui. Outras 20 casas foram alagadas em Uruguaiana. 

A chuva que atinge a Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul tem provocado alagamentos e remoção de famílias nas cidades de Uruguaiana e Itaqui. Em Santa Rosa, no Noroeste do estado, uma árvore caiu com a força do vento. 

O acumulado de chuva em Uruguaiana passa de 100 milímetros, mas não foi registrado vento forte, nem queda de granizo. De acordo com a Defesa Civil da cidade, pelo menos 20 casas foram invadidas pela água durante a madrugada deste sábado (3). No entanto, até agora, não foi necessária a remoção das famílias afetadas. 

Na cidade de Itaqui, também na Fronteira Oeste, a Defesa Civil municipal estava realizando a remoção de cinco famílias que tiveram as casas alagadas por causa da cheia de uma sanga. 

Em Santa Rosa, no Noroeste do estado, uma árvore caiu por conta da força do vento na BR-472, no trevo que dá acesso a cidade. De acordo com o Corpo de Bombeiros, um dos lados da rodovia chegou a ficar bloqueado, mas a situação já foi normalizada. 

A Defesa Civil do Rio Grande do Sul faz alerta de risco de chuva intensa e vento forte para a maioria das regiões. A situação persiste até domingo (14). A cidade de Uruguaiana deve ser uma das mais atingidas, conforme estimativas dos órgãos estaduais. 


Fonte: G1

Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarCompartilharPin it

Comentários

AnteriorPróximo