Voltar ao topo.Ver em Libras.
Curta no Facebook:
Tempo em Nonoai - RS:
Tempo em Trindade do Sul - RS:
Tempo em Três Palmeiras - RS:
CPZ NotíciasNotícias de Nonoai e região em primeira mão
Última atualização:14 de novembro de 2019,
às 06:38

Inter vence Palmeiras nos pênaltis, em noite dramática no Beira-Rio#

« Última» Primeira🛈Categoria:Esporte
ImprimirReportar erroTags:povo, invadiu, confiante, porém, árbitro, se, resumia e aguentar914 palavras13 min. para ler
Inter vence Palmeiras nos pênaltis, em noite dramática no Beira-Rio - EsporteVer imagem ampliada
Colorado fez 1 a 0 no tempo normal, com polêmica, gol anulado no VAR, confusão e finalmente o triunfo nas penalidades

Uma noite dramática define o que foi o confronto entre Inter e Palmeiras, nesta quarta-feira pelas quartas de final da Copa do Brasil. O Colorado foi sempre melhor e ganhou por 1 a 0 no tempo normal. Vai reclamar sempre, contudo, do gol anulado já nos acréscimos e que levou a partida para os pênaltis. Nas cobranças, festa no Beira-Rio e classificação para a semifinal.

O Inter apagou qualquer lembrança do time que perdeu para o Palmeiras na última semana. Os comandados de Odair Hellmann aproveitaram o empurrão da torcida e peitaram o Palmeiras desde o apito inicial. Mesmo com o Verdão levando muito perigo nos contragolpes, o Colorado respondeu com imposição ofensiva e castigando o goleiro Weverton.

A artilharia pesada do ataque colorado tinha Nico López e Guerrero abastecidos por D`Alessandro. Além disso, Patrick e Edenilson de motorzinhos do time viraram usinas de força, lutando por cada bola e fazendo ela chegar na área adversária. 

Inter pressiona até marcar

A disposição gerou a primeira chance aos três minutos da etapa inicial. Guerrero acionou D`Alessandro na meia-lua, o meia chutou de primeira e Weverton espalmou esquisito para escanteio. O goleiro voltou a trabalhar aos 10 minutos. D`Alessandro cobrou falta com perfeição na cabeça de Moledo. O zagueiro subiu livre e cabeceou firme no canto direito, mas o goleirão fez milagre para espalmar. O ímpeto do Inter sofreu um leve susto em seguida, quando o peruano dividiu uma bola na área e sentiu o tornozelo. Após atendimento, contudo, o peruano voltou confiante. 

O Palmeiras, porém, não se resumia a aguentar a pressão. Aos 18, Dudu foi acionado na direita, deu uma casquinha para Zé Rafael na cara do gol, Lomba foi esperto para interceptar e evitar chance clara de gol.

Era a hora dos volantes colorados aparecerem. Primeiro, Edenilson quase marcou gol olímpico em escanteio cobrado da esquerda. Lindoso, então, conseguiu a assistência de cabeça para Guerrero, mas o peruano estava desequilibrado e mandou fraco. Guerrero tentou em novo passe de Lindoso, parou em grande defesa de Weverton num chute cruzado. Foi brigado e a luta valeu à pena aos 40 minutos. Edenilson brigou pela bola na área, a dividida caiu nos pés de Patrick. Ele tinha dois marcadores na frente, enfiou o pé e um pequeno desviou matou Weverton. A bola estufou as redes no canto esquerdo e os colorados estufaram os pulmões com o grito de gol no 1 a 0.

Em seguida, faltou ar, pois o Palmeiras ainda levou perigo no primeiro tempo. Dudu recebeu na meia-lua e bateu com veneno no canto esquerdo, Marcelo Lomba voou rente ao poste para espalmar e manter o Inter na frente antes do intervalo.

Veio o segundo tempo e os donos da casa continuaram a impor seu jogo no Beira-Rio. O Inter reduziu um pouco o ímpeto ofensivo, mas pouco deixou o Palmeiras criar.

Quem trabalhou, inclusive, foi o goleiro Weverton. Aos 7, Nico Lopez recebeu na área. De cara para o gol, ele chutou forte de primeira, o goleirão foi no cantinho, com muito reflexo e mandou para escanteio. Aos 12, D`Ale levantou na área, Cuesta mandou de peixinho. Era o gol da classificação, mas tinha o goleiro palmeirense na frente para fazer milagre.

Polêmicas e mais drama

Sem maior presença no ataque, o Palmeiras dependia de um lance à parte para fazer o gol. E quase aconteceu. Aos 35 minutos, Felipe Melo roubou bola na frente da área, invadiu e caiu na trombada com Edenilson. O árbitro marcou pênalti, para depois fazer a revisão no VAR e determinar lance normal.

O VAR voltou a ser o centro das atenções já aos 47. O Inter fez o gol da classificação, mas não valeu. D`Alessandro cobrou escanteio com perfeição, Cuesta desviou de cabeça e mandou por baixo do goleiro Weverton. A arbitragem de vídeo foi acionada e um contato de Moledo com Felipe Melo determinou a anulação do lance. D`Alessandro foi expulso, com o segundo cartão amarelo, ainda antes da revisão, ao reclamar com o juiz. 

Vieram as cobranças e o Inter foi perfeito até a quarta cobrança. O Palmeiras, por sua vez, viu Lomba defender com os pés na cobrança de Gustavo. Luan ainda chutou bola no travessão, que caprichosamente bateu nas costas de Lomba e entrou. Então, Patrick teve a chance de decidir na quinta cobrança. Só que o volante chutou fraco no canto direito, para defesa de Weverton. Vieram as alternadas. Nonato cobrou firme, Weverton tocou na bola, mas entrou para o 5 a 4. A festa no Beira-Rio só veio quando Moisés explodiu a bola no travessão, definindo o avanço do Colorado.

Copa do Brasil - Quartas de final

Inter 1 (5)

Marcelo Lomba; Bruno (Nonato), Rodrigo Moledo, Víctor Cuesta e Uendel (Wellington Silva); Rodrigo Lindoso; D`Alessandro, Edenilson, Patrick e Nico López (Rafael Sobis); Paolo Guerrero. Técnico: Odair Hellmann.

Palmeiras 0 (4)

Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez e Diogo Barbosa; Felipe Melo e Bruno Henrique; Dudu, Lucas Lima (Moisés) e Zé Rafael (Willian); Deyverson (Carlos Eduardo). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Gol: Patrick (40min/1ºT).

Cartões amarelos: D`Alessandro, Nico López, Nonato (I); Dudu, Luan, Gustamo Gómez, Marcos Rocha (P). 

Cartão vermelho: D`Alessandro.

Público total: 42.344.

Renda: R$ 2.306.661,00.

Arbitragem: Rafael Traci (SC), auxiliado por Bruno Boschilia (PR) e Rodrigo Henrique Corrêa (RJ). VAR: Rodrigo D`Alonso Ferreira (SC).

Local: Beira-Rio.

Correio do Povo 

Comentários#