Atenção!A página impressa é diferente da página exibida na tela do computador.
Feito!
Erro!

Comida, luz e gasolina levam à primeira deflação em 11 anos

Voltar ↖Seguir ↘
Bertuol SupermercadosAnuncie aquiChapecarJG siteDatchiMossi Viagens e TurismoRádio Sul FMFarmáciaLanchonete Família VieiraShalon siteGDR SiteVidraçariaTissiani TelasJornal2º Racha Nonoai
« Última» PrimeiraCategoria:Geral
ImprimirReportar erroTags:gaucha, casa, representa, média, recuo, puxado, alimentação e colaborou321 palavras5 min. para ler
Comida, luz e gasolina levam à primeira deflação em 11 anos - Geral
Ver imagem ampliada
O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo de junho teve queda de 0,23%. O IPCA é calculado pelo IBGE e considerado a inflação oficial do país. 
Ficou bem abaixo dos 0,31% de maio e o menor indicador para junho desde 2006. Além disso, nunca foi tão baixo desde agosto de 1998, quando a taxa atingiu -0,51%.
- Os três grupos mais importantes para o orçamento doméstico tiveram queda, afetando as principais despesas da população: de se alimentar, morar e se transportar. - coordenadora de índices de preços do IBGE, Eulina Nunes.
Depois de subirem 8,98% em maio, as contas de energia elétrica ficaram 5,52% mais baratas. Houve a passagem da bandeira vermelha para a verde, que significa uma redução de R$ 3 a cada 100 kWh consumidos.
Os combustíveis também tiveram queda, de -2,84%. O destaque foi o repasse ao consumidor das duas reduções seguidas no preço da gasolina autorizadas pela Petrobras para as refinarias, no final de maio e em junho. Além disso, caiu 4,66% o preço do litro do etanol.
Colaborou também o grupo de despesas com alimentos, que representa 26% do IPCA. Na média, recuo de 0,50%, puxado pela alimentação em casa, com redução em todas as regiões pesquisadas. Itens importantes, como tomate, batata-inglesa e frutas, tiveram quedas significativas nos preços. A maior queda nos alimentos ocorreu na Região Metropolitana de Porto Alegre: -1,45%.
- Reflete os resultados positivos da safra e os efeitos da redução no poder aquisitivo da população, que levam o comércio a fazer ofertas e promoções. - comenta Eulina.
Outro ponto bem importante do IPCA divulgado nesta sexta-feira é o acumulado de 12 meses, que é o parâmetro usado pelo Governo Federal para acompanhar as metas de inflação. O indicador caiu para 3%, ficando bem abaixo do que o mercado e até o Banco Central estão projetando para a taxa de fechamento de 2017. 
“Esse resultado pressiona o Banco Central a realizar um corte de 1 ponto percentual na próxima reunião.“ - já avisa a área de fundamentos da XP Investimentos.


Giane Guerra: Gaucha 

Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarPin it

Comentários

Voltar ↖Seguir ↘